Please use this identifier to cite or link to this item: http://ri.ucsal.br:8080/jspui/handle/123456730/133
metadata.dc.type: Tese
Title: Família e trabalhador/a de saúde na clínica médica: um estudo etnográfico sobre as interações
metadata.dc.creator: Amorim, Rita da Cruz
metadata.dc.contributor.advisor1: Costa, Lívia Alessandra Fialho da
metadata.dc.contributor.referee1: Aguiar, Maria Geralda Gomes
metadata.dc.contributor.referee2: Nascimento, Maria Ângela Alves do
metadata.dc.contributor.referee3: Rabinovich, Elaine Pedreira
metadata.dc.contributor.referee4: Sá, Sumaia Midilej Pimentel
metadata.dc.description.resumo: A presente pesquisa visa compreender a vivência do adoecimento e da hospitalização para o grupo familiar, a partir dos seus integrantes e dos/as trabalhadores/as de saúde que desenvolvem atividade de cuidado na clínica médica de um hospital público do interior da Bahia. Ancorada numa perspectiva interdisciplinar, a pesquisa segue uma abordagem qualitativa, centrada em observações participantes, entrevistas e escuta sensível que deram suporte à realização de uma etnografia das interações na clínica médica. Participaram 14 famílias e 17 trabalhadores/as da clínica, sendo incluídos familiares acompanhantes que exerciam a atividade, a partir de 48 horas na clínica, e excluídos familiares acompanhantes que recebiam proventos e cuidadores particulares. As observações foram realizadas no hall do hospital, no corredor, no posto de enfermagem e nas enfermarias, totalizando oito meses de observação sistemática. Os dados coletados foram tratados metodológica e epistemologicamente como narrativas, dentro de uma perspectiva biográfica, a partir da combinação de informações obtidas, originando as “narrativas das narrativas”. Foi possível a sustentação do enfoque biográfico na (re)elaboração narrativa dos dados coletados, evidenciado pela experiência vivenciada de modo inteiro. Como resultados da etnografia e a partir da compreensão de que o hospital é um cenário de dramas, foram revelados aspectos das redes de apoio interfamiliares, da fé como mobilizadora de força para o enfrentamento do adoecimento e da internação, bem como uma série de situações motivadoras de tensões e conflitos na enfermaria. O posto de enfermagem apresentou-se como lugar da expressão do corporativismo, das hierarquias, mas também das pilhérias. A análise das interações aponta ainda para a dimensão de “cuidado” implicada na ação comunicativa. Das narrativas das famílias sobre a experiência do acompanhamento na hospitalização emergiram três categorias relevantes: “o acompanhar e cuidar como conforto mútuo”; “o acompanhar e cuidar como um ato de amor”; “o acompanhar e cuidar como obrigação”. A pesquisa indica a importância de investimentos em novos estudos etnográficos no hospital que envolvam a família, colocando em relevo este grupo que integra o cenário hospitalar.
Abstract: The present research aims to understand the experience of illness and hospitalization for the family group from their integrants and healthcare workers who develop caring activity in the medical clinic of a public hospital within Bahia. Anchored in an interdisciplinary perspective, the research follows a qualitative approach, focused on participant observation, interviews and sensitive listening that supported the holding of interaction ethnography in the medical clinic. Participants were 14 families and 17 workers of the clinic, including accompanying family members who performed the activity, from 48 hours in the clinic, and excluding accompanying family members receiving income and private caregivers. Observations were carried out in the hospital lobby, in the hall, at the nursing station and in the wards, totaling eight months of systematic observation. Collected data were treated methodologically and epistemologically as narratives, within a biographical perspective, from the combination of obtained information, originating the "narratives of narratives”. Biographical focus support was possible on narrative (re)elaboration of the data collected, as evidenced by the lived experience as a whole. As ethnography results and from the understanding that the hospital is a setting of dramas, inter-family support network aspects were revealed, faith as a mobilizing force to face the illness and hospitalization, as well as a series of motivating situations of tensions and conflicts in the infirmary. The nurses' station has been presented as a place of corporatism expression, hierarchies, but also of jokes. Interactions analysis still points to the dimension of "care" involved in communicative action. Three important categories emerged from families’ narratives on the hospital follow-up experience: "follow-up and care as mutual comfort"; "follow-up and care as an act of love"; "follow-up and care as an obligation." Research indicates the importance of investments in new ethnographic studies in the hospital that involve the family, highlighting this group that integrates the hospital setting.
Keywords: Família
Saúde
Cuidado
Etnografia em Saúde
Hospitalização
Family
Health
Care
Health Ethnography
Hospitalización
metadata.dc.subject.cnpq: Sociais e Humanidades
Multidisciplinar
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Catolica de Salvador
metadata.dc.publisher.initials: UCSAL
metadata.dc.publisher.department: Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação
metadata.dc.publisher.program: Família na Sociedade Contemporânea
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
URI: http://ri.ucsal.br:8080/jspui/handle/123456730/133
Issue Date: 12-May-2016
Appears in Collections:Teses de Doutorado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
AMORIM, RC-2016.pdf4.41 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.