Please use this identifier to cite or link to this item: http://ri.ucsal.br:8080/jspui/handle/123456730/210
metadata.dc.type: Dissertação
Title: O envolvimento do pai com o filho com deficiência visual: um estudo de casos múltiplos
metadata.dc.creator: Silva, Aroldo Barbosa da
metadata.dc.contributor.advisor1: Moreira, Lúcia Vaz de Campos
metadata.dc.contributor.referee1: Galvão, Nelma de Cássia Silva Sandes
metadata.dc.contributor.referee2: Bastos, Ana Cecília de Sousa Bittencourt
metadata.dc.description.resumo: A presente dissertação de mestrado investigou o envolvimento do pai com o filho com deficiência visual, na faixa etária entre dois e seis anos. Para atingir tal propósito foi utilizada a pesquisa qualitativa, optando-se por estudo de casos múltiplos. Participaram da pesquisa seis pais, residentes no estado da Bahia, que tinham pelo menos um filho com deficiência visual, com idade entre dois e seis anos, acompanhado em instituição que atende precocemente crianças com tal deficiência. Além de coabitar com a criança, o pai também tinha outro filho sem deficiência. O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa Prof. Dr. Celso Figueirôa Hospital Santa Izabel/SCMBA e, em seguida em instituição que atende crianças com deficiência visual, foram selecionados os participantes de acordo com os critérios anteriormente referidos. Eles foram convidados por meio de telefonemas para que comparecessem em dia e horário previamente agendados. Todos os participantes assinaram o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido. As entrevistas foram realizadas com cada pai em separado e gravadas para que nenhuma informação se perdesse. Os dados foram analisados de forma descritiva. Os principais resultados foram: a chegada do filho deficiente visual causou impactos diferentes na família dos participantes dependendo das experiências anteriores de convivência com pessoas com deficiência, mas foi dada continuidade à vida aprendendo a lidar e a conviver com a presença de um membro nessas condições no contexto familiar. Ser pai de um filho com deficiência visual, mesmo com os dramas vividos, consiste em experiência positiva, uma dádiva. A interação direta do pai com seufilho com deficiência visual se deu por meio de várias formas, tais como: transportando-o, acompanhando-o nos atendimentos especializados, cuidando fisicamente dele, proporcionando a ele lazer/convivência, acompanhando-o na realização das tarefas escolares e comunicando-se com ele. Os pais se encontram mais disponíveis para atender as necessidades dos seus filhos nos momentos em que estão presentes em casa, bem como quando estão em horário de trabalho, desde que solicitados por telefone. Também são disponíveis nos momentos em que as mães encontram-se ausentes. Os entrevistados relataram que se sentem responsáveis pelas suas crianças em todos os aspectos, sendo que um pai destacou o provimento financeiro e o lazer e, outro, a tomada de decisões. Ao se comparar as formas de envolvimento paterno com a criança com deficiência visual e com o filho sem deficiência, constatou-se que no quesito interação, o envolvimento é maior com o filho deficiente visual, em decorrência dos cuidados requeridos pela deficiência. Por outro lado, os pais se envolvem de forma igual com relação à acessibilidade e a responsabilidade. Conclui-se que os pais apresentaram um bom envolvimento na interação direta com a sua criança com deficiência visual, o que favoreceu o desenvolvimento psicossocial do filho. Além disso, a presença do pai foi positiva no apoio moral dispensado à sua esposa, o que ajudou no enfrentamento do drama familiar diante do filho com deficiência. Aponta-se para a necessidade de estudos futuros que aprofundem o envolvimento do pai nos diversos tipos de deficiência.
Abstract: This master dissertation investigated father involvement with visually handicapped children, aged between two and six years. To achieve this purpose qualitative research was used, choosing a multiple case study. Six parents participated in the survey, residents in Bahia state, which had at least one child with visual impairments, aged between two and six years, followed by early institution that serves children with such disabilities. Besides cohabiting with the children, the father also had another child without disabilities. The study was approved by the Ethics Comitee in Research Prof. Dr. Celso Figueirôa Santa Izabel Hospital /SCMBA and then in an institution where children with visual disability, participants were selected according to the above criteria. They were invited by telephone to attend a previously scheduled day and time. All participants signed an informed consent. Interviews were conducted with each parent separately and taped so that no information was lost. Data were analyzed descriptively. The main results were: the arrival of the visually handicapped child in the family caused different impacts depending on the participants' previous experiences of living with people with disabilities, but we continued to lifetime learning to cope and live with the presence of one of these conditions in family context. Being a parent of a child with visual impairment, even with experienced dramas, consisting of positive experience, a gift. A direct interaction between the father and his son with visual impairment occurred through various ways such as: carrying him, accompanying him on specialized care, taking care of him physically, giving him pleasure/conviviality, accompanying him in carrying out schoolwork and communicating with him. Parents are more available to meet the needs of their children at times when they are present in home as well as when they are in work hours, if requested by phone. They are also available at times when mothers are absent. Respondents reported that they feel responsible for their children in all aspects of being a parent highlighted the financial and leisure provision, and the other, making decisions. When comparing the forms of parental involvement with the visually impaired child and the child without disabilities, it was found that in the question interaction, engagement is higher with visually impaired child, due care required by the disability. Moreover, parents are involved equally with respect to accessibility and responsibility. It is concluded that the parents had a good involvement in direct interaction with their visually impaired child, which favored the psychosocial development of the child. Furthermore, the presence of the father was positive in the moral support given to his wife, which helped in coping with family drama before the disabled child. It points to the need for future studies to further investigate the involvement of the father in the various types of disabilities.
Keywords: Paternidade
Deficiência visual
Envolvimento paterno
Família
Fatherhood
Visual disabilities
Father involvement
Family
metadata.dc.subject.cnpq: Sociais e Humanidades
Multidisciplinar
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Catolica de Salvador
metadata.dc.publisher.initials: UCSAL
metadata.dc.publisher.department: Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação
metadata.dc.publisher.program: Família na Sociedade Contemporânea
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
URI: http://hdl.handle.net/123456730/210
Issue Date: 9-Dec-2014
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
SILVA AB 2014.pdf1.32 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.