Please use this identifier to cite or link to this item: http://ri.ucsal.br:8080/jspui/handle/123456730/99
metadata.dc.type: Dissertação
Title: Crise agrícola no Recôncavo Baiano (1890-1910): Município de São Felipe/ Bahia
metadata.dc.creator: Santos, Félix Souza
metadata.dc.contributor.advisor1: Flexor, Maria Helena Matue Ochi
metadata.dc.contributor.referee1: Alencar, Cristina Maria Macêdo de
metadata.dc.contributor.referee2: Nascimento, Vilma Maria do
metadata.dc.description.resumo: Discute-se, essencialmente, aspectos referentes à crise agrícola, que se abateu sobre o território do Recôncavo da Baía de Todos os Santos, na primeira década do século XX. Para isto, privilegia-se a análise das relações sociais e econômicas da região e, discute-se o papel do Estado nessas relações. Entende-se o Estado como sendo a instância política e ideológica, ao mesmo tempo em que era o principal agente indutor das demandas do capital no território naquele momento. Entre o final do século XIX e o inicio do século XX, o Recôncavo da Baia de Todos os Santos foi marcado por um conjunto de transformações sociais, políticas e econômicas que afetaram, direta ou indiretamente, todo o conjunto das relações sociais, de produção e consumo, desse amplo espaço do território baiano. Resultou disso, como em outras partes do Brasil, uma conjuntura de crise na economia, que afetou a agricultura e que perdurou por toda primeira década do século XX, especialmente, durante o governo de José Marcelino de Souza, governador da Bahia no período de 1904 a 1908. Constatou-se que a noção de “crise agrícola” se aplicava, especialmente, aos setores envolvidos com a produção e exportação do açúcar. No caso específico de São Felipe, situado ao Sul desse mesmo Recôncavo, verificou-se uma estrutura econômica centrada em três produtos básicos: mandioca, café e cana. E a existência de trabalhadores na condição socioeconômica de agregado ou rendeiro. Notou-se que a produção, distribuição e consumo, se destinavam ao mercado local, abastecimento da cidade do Salvador e do Sertão. A partir de inventários, testamentos e partilhas de bens, fez-se um levantamento dos níveis sociais e econômicos dos habitantes de São Felipe, evidências de que a essa região de São Felipe, por possuir uma característica de economia de subsistência, a noção de crise agrícola não se aplica integralmente por ter cultura exclusivamente de subsistência e pequena distribuição ou troca com vilas ou municípios vizinhos. A partir dessas evidências, se propõe novas análises em outros municípios de economia subsistência dentro desse mesmo Recôncavo, no sentido de se entender a extensão da crise agrícola e averiguar a hipótese de que uma estrutura de economia, com essas características, seria menos afetada pelas constantes crises produzidas pela nova sociedade republicana capitalista.
Abstract: It discusses mainly issues concerning agricultural crisis that befell the hollow tract of land of Bay of All Saints territory, in the first decade of the 20th century. For this, emphasis is placed on analysis of social and economic relations in the region and discusses the State role in these relationships. It is understood the State as political and ideological instance, while that was the main inducing agent of capital demands in the territory at that time. Between the late 19th century and early 20th century, the hollow tract of land of Bay of All Saints was marked by a set of social, political and economic issues that have affected, directly or indirectly, the whole set of social relations, of production and consumption, this broad area of Bahia territory. Resulted addition, a conjuncture of crisis in the agricultural economy, which lasted throughout the first decade of the 20th century. Especially during the Bahia government of José Marcelino de Souza from 1904 to 1908. It was noted that the notion of "agricultural crisis" it’s applied especially to sectors involved in the production and export of sugar. In the specific case of San Felipe, located south of that territory, there was an economic structure centered on three basic products: manioc, coffee and sugar and the predominance of the worker in the socioeconomic status of aggregate or tenant. It was noted that the production, distribution and consumption were destined for the local market, supplying the city of Salvador and the Hinterland. It was noted that the documents examined, especially inventories and friendly shares, do not make references to the agricultural crisis. From this evidence, it is consistent to assert that this region of San Felipe, by possessing a characteristic of family subsistence or economy. And an array of diversified production. For these reasons, the notion of agricultural crisis does not apply fully to this region. From these evidences, proposes further analyses in other areas of the economy within that same family, in order to understand the extent of the agricultural crisis. And investigate the hypothesis that family structure and diversified economy would be less affected by the ongoing crisis produced within relations of new republican society
Keywords: Recôncavo Baiano
São Felipe
Governo José Marcelino
Crise agrícola
San Felipe
José Marcelino Government
Agricultural crisis
metadata.dc.subject.cnpq: Planejamento Urbano e Regional/Demografia
Territorialização e Desenvolvimento Social
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Catolica de Salvador
metadata.dc.publisher.initials: UCSAL
metadata.dc.publisher.department: Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação
metadata.dc.publisher.program: Planejamento Territorial e Desenvolvimento Social
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
URI: http://ri.ucsal.br:8080/jspui/handle/123456730/99
Issue Date: 18-Feb-2013
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Felix-UCSAL2013.pdf1.37 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.