Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://104.156.251.59:8080/jspui/handle/prefix/1510
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.creatorCruz, Maria Goretti Mendes-
dc.date.accessioned2020-04-23T00:19:30Z-
dc.date.available2020-04-22-
dc.date.available2020-04-23T00:19:30Z-
dc.date.issued2011-07-31-
dc.identifier.urihttp://104.156.251.59:8080/jspui/handle/prefix/1510-
dc.description.abstractThere aren't few people who, in their relationship, suffer from jealousy. Some, by the excess of the manifestations from this affection, others by the absence of any expression of it. In both cases, a common axis gives support to the speech: the representation of jealousy as a sign/display of love. However, while the romantic representation of jealousy as "sauce of love" retains its vitality through the ages, the absurdity of physical violence and/or psychological changes to growing public health problem. This study aims to investigate in light of the psychoanalytic perspective, taking advantage of the content of literary classics Medea and Othello, the multiform psychological mechanisms involved in amorous jealousy in dyadic relationship, exclusive from heteroafetive nature, aiming to understand the complexity with greater coverage surrounding the issue. The freudian psychoanalysis considers the jealousy a complex affective constituent of the human psychic organization. It states that the dynamics jealous constitutes itself in the early structuring of the child's emotional life, in the intertwining of narcissism and the Oedipus complex. A failure of narcissistic organization, resulting in compromised representation of themselves, together with the oedipal position of rivalry unsurpassed, facilitate the repetition of jealousy lifelong. From this perspective, the amorous jealousy is perceived as a 'phenomenon' which sources remount mainly in the field of intrasubjectivity, a reminiscent of loves, pain and conflict of primeval relations experienced in 'sacred time' of the psychic organization of the subject. Moreover, although this research does not contemplate the investigation of romantic jealousy with specific focus on gender category, the study of Tragedies above points to a jealousy of affective nature in woman and sexual in man.pt_BR
dc.languageporpt_BR
dc.publisherUniversidade Católica do Salvadorpt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectCiúmept_BR
dc.subjectMedéia e Otelopt_BR
dc.subjectTragédiapt_BR
dc.subjectPsicanálisept_BR
dc.subjectFamíliapt_BR
dc.subjectJealousypt_BR
dc.subjectMedea and Othellopt_BR
dc.subjectTragedypt_BR
dc.subjectPsychoanalysispt_BR
dc.subjectFamilypt_BR
dc.titleExercícios de leitura psicanalítica acerca do ciúme amoroso: os modelos de Medéia e Otelopt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/pt_BR
dc.contributor.advisor1Menezes, José Euclimar Xavier de-
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/pt_BR
dc.contributor.referee1Costa, Lívia Alessandra Fialho da-
dc.contributor.referee1Latteshttp://lattes.cnpq.brpt_BR
dc.contributor.referee2Coutinho, Denise Maria Barreto-
dc.contributor.referee2Latteshttp://lattes.cnpq.brpt_BR
dc.description.resumoNão são raras as pessoas que, em sua relação amorosa, sofrem por ciúme. Algumas, pelo excesso das manifestações desse afeto, outras, pela ausência de qualquer expressão dele. Em ambas os casos, um eixo comum dá sustentação ao discurso: a representação do ciúme como sinal/demonstração de amor. Entretanto, enquanto a representação romântica do ciúme como “tempero do amor” conserva a sua vitalidade através dos tempos, o destempero da violência física e/ou psicológica se transforma em crescente problema de saúde pública. Este estudo se propõe investigar, à luz da perspectiva psicanalítica, se valendo do conteúdo dos clássicos literários Medeia e Otelo, os multiformes mecanismos psicológicos envolvidos no ciúme amoroso em relacionamento diádico exclusivo de natureza heteroafetiva, objetivando compreender com maior abrangência a complexidade que envolve o tema. A psicanálise freudiana considera o ciúme um complexo afetivo constituinte da estruturação psíquica do ser humano. Afirma que a dinâmica ciumenta se constitui nos primórdios da estruturação da vida afetiva da criança, no entrelaçamento do narcisismo e do Complexo de Édipo. Uma falha na estruturação narcísica, resultando em comprometimento da representação de si, aliada à posição edípica de rivalidade não superada, favorecerá a repetição do ciúme ao longo da vida. Nessa perspectiva, o ciúme amoroso é percebido como um ‘fenômeno’ cujas raízes remontam, sobretudo, ao domínio da intrasubjetividade, uma reminiscência de amores, dores e conflitos de relações primevas vivenciadas no ‘tempo sagrado’ da estruturação psíquica do sujeito. Ademais, embora essa pesquisa não contemple a investigação do ciúme romântico com recorte específico na categoria de gênero, o estudo das Tragédias supracitadas aponta para um ciúme de natureza afetiva nas mulheres e sexual nos homens.pt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.departmentPró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduaçãopt_BR
dc.publisher.programFamília na Sociedade Contemporâneapt_BR
dc.publisher.initialsUCSALpt_BR
dc.subject.cnpqSociais e Humanidadespt_BR
dc.subject.cnpqMultidisciplinarpt_BR
Aparece nas coleções:Dissertações de Mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
DISSERTACAOMARIACRUZ.pdf1.02 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.