Please use this identifier to cite or link to this item: http://ri.ucsal.br:8080/jspui/handle/prefix/2160
metadata.dc.type: Artigo de Evento
Title: A educaçào física cuida do corpo ... “mente”: reflexões sobre o pensamento de João Paulo Subirá Medina na atual educação física
Other Titles: SEMOC - Semana de Mobilização Científica
metadata.dc.creator: Sá, Kátia Oliver de
Sousa, Ana Lúcia Silva
Silva, Antônio George Nunes da
Santos, Fábio Luis Pereira dos
UCSAL, Universidade Católica do Salvador
metadata.dc.description.resumo: O objetivo deste estudo partiu da necessidade de aproximar estudantes do primeiro semestre do Curso de Licenciatura em Educação Física, com leituras que pudessem colocá-los na perspectiva de conhecer obras que na década de 80 e 90 demarcaram de forma significativa a produção do conhecimento da área, assim como apresentar possibilidades e valorização sobre o campo da pesquisa. Dentre as quatro obras lidas e discutidas em sala de aula, destacamos o livro de João Paulo Subirá Medina, por apresentar para os estudantes um maior interesse e uma leitura de fácil compreensão. O autor aborda questões de grande significado para a área de Educação Física; inicialmente ele fala sobre a sua compreensão do corpo, e apresenta uma discussão onde podemos apresentar em síntese, considerando na íntegra suas palavras, através deste parágrafo: O significativo crescimento do interesse de certas camadas da população pelas atividades do corpo, nos últimos anos, criou condições mais favoráveis para a reflexão nesta área e tornou urgente a necessidade de se encontrar um sentido mais humano para a nossa cultura física. Se as pessoas estão cada vez mais interessadas pelo assunto, é sinal evidente que na trajetória histórica de nossa cultura – por mais inautêntica e condicionada que ela possa ser – começa a surgir o movimento para se repensar com mais seriedade o problema do corpo. Mesmo porque os problemas pertinentes à educação, ao comportamento geral do homem e à sua própria liberdade, estão diretamente afetos ao sentido humano dado a ele. Afinal é bom que se entenda desde já que nós não temos um corpo; antes, nós somos o nosso corpo, e é dentro de todas as suas dimensões energéticas, portanto de forma global, que devemos buscar razões para justificar uma expressão legítima do homem, através das manifestações do seu pensamento, do seu sentimento e do seu movimento. (MEDINA, 1986, p. 12). Na perspectiva de colocar a discussão do corpo no âmbito da Educação Física, o autor fala no primeiro capítulo, da necessidade de haver no campo teórico da cultura, uma revolução. Uma revolução que ocorra a partir de uma “crise”, onde possa ser esclarecida a possibilidade do choque das contradições em que é colocada a discussão do sentido e significado da Educação Física para a sociedade. A crise da qual Medina se refere expressa a necessidade da elaboração de projetos que sejam indispensáveis à superação de limitações teóricas, mas que apontem na direção de uma realização existencial e profissional, pessoal e coletiva mais ampla e comprometida com os rumos políticos, econômicos e sociais da sociedade brasileira. É através do anúncio de uma revolução cultural na Educação Física que Medina fala da necessidade de se recuperar o sentido humano do corpo. Nesta perspectiva, conclama os profissionais da área para essa função relevante, pois é uma oportunidade institucionalizada que há longo tempo a área está a dever para a sociedade.
Keywords: Educação física
SEMOC - Semana de Mobilização Científica
metadata.dc.subject.cnpq: Sociais e Humanidades
Multidisciplinar
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Católica do Salvador
metadata.dc.publisher.initials: UCSAL
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
URI: http://ri.ucsal.br:8080/jspui/handle/prefix/2160
Issue Date: Oct-2003
Appears in Collections:SEMOC - Semana de Mobilização Científica



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.