Please use this identifier to cite or link to this item: http://ri.ucsal.br:8080/jspui/handle/prefix/634
metadata.dc.type: Tese
Title: Temporalidades, trajetórias e enfrentamentos à violência de gênero na intimidade: desvelando dinâmicas da justiça soteropolitana
metadata.dc.creator: Assis, Bárbara Pontes de
metadata.dc.contributor.advisor1: Cavalcanti, Vanessa Ribeiro Simon
metadata.dc.contributor.referee1: Dias, Maria Isabel Correia
metadata.dc.contributor.referee2: Castro, Mary Garcia
metadata.dc.contributor.referee3: Silva, Julie Sarah Lourau Alves da
metadata.dc.contributor.referee4: Avena, Maura Leite Espinheira
metadata.dc.description.resumo: Dentro da linha de Pesquisa Família nas Ciências Sociais, a tese discute, por meio de uma abordagem teórica histórico-dialética, o conceito do patriarcado como estruturante das relações, ligado a representações que ultrapassam o escopo doméstico-familiar e norteiam todas as demais relações sociais sobre as quais se instituem formas de atuação do sujeito no mundo social de maneira dicotomizada. Tais relações se baseiam nos papéis hierárquicos de gênero, sob a perspectiva de uma mentalidade de longa duração histórica, com metamorfoses que garantem sua permanência nos dias correntes. A hipótese é a de que este interfere nas trajetórias de vida, de gênero, na busca de acesso à justiça e no enfrentamento à violência vivenciada em relações íntimas. O objetivo geral é perceber a atuação do Estado, da família, da religião na vida de mulheres que optaram pelo enfrentamento legal à violência de gênero. Sendo os objetivos específicos atentar para os tempos do processo, das urgências e do sistema de atenção/proteção; refletir sobre a eficácia da Lei Maria da Penha na vida dessas mulheres, visualizar de que forma se deu a atuação dessas instituições e quais as estratégias usadas para a manutenção do processo. O enfoque à Rede de Atenção à Mulher se faz a partir das trajetórias de cinco mulheres vítimas de violência doméstica e familiar - envolvendo contextos de intimidade -, onde serão analisadas as temporalidades previstas em lei e o tempo real no enfrentamento à violência. A aproximação à Rede se dá por meio de abordagem qualitativa, utilizando entrevistas semiestruturadas com representantes institucionais assim como pelas histórias narradas, e quantitativa mensurando o tempo de duração dos Inquéritos Policiais no período entre janeiro e outubro de 2017, buscando compreender sua dinâmica e como esta repercute na vida das mulheres. O tempo do enfrentamento que urge no cotidiano das mulheres que recorrem à Rede diverge do tempo de enfrentamento do Estado relativo à questão das violências. Como resultados assinala-se que tal demora na resolução dos processos e a presença do patriarcado nas instituições põe em cheque a eficácia da Lei Maria da Penha, a confiança no acesso à justiça e a cidadania, bem como a proteção e garantia de direitos.
Abstract: Inside the field of Family Research in Social Sciences, this thesis discusses, by an historical-dialectical theoretical approach, the concept of patriarchy as structurant of relations, connected to representations that surpass the domestic-familiar scope and guide all other social relations above which the ways of action of a subject in the social world get instituted in a dichotomized manner. Those relations are based on hierarchical gender roles, under the perspective of a mentality of long historical length, presenting transformations that guarantee its permanence in current days. The hypothesis is that this interferes in trajectories of life, of gender, in the search of access to justice and in the confrontation of violence lived in intimate relationships. The major objective is to perceive the action of State, family and religion in the lives of women who chose to legally confront gender violence. Minor objectives are to take notice to the timing of the process, to the urgencies and to the system of care/protection; to consider the efficiency of Maria da Penha Law in those women’s lives, to visualize the manner in which has happened the action of those institutions and what are the strategies used in the maintenance of the process. The focus on Women’s Care Network (Rede de Atenção à Mulher) is done through the trajectories of five women who are victims of familiar and domestic violence – involving contexts of intimacy –, in which the temporalities foreseen in law and the real timing confronting violence are going to be analyzed. The access to this Network is done by a qualitative approach, using semi-structured interviews with institutional representatives as well as by narrated stories, and a quantitative approach, measuring the duration timing of Police Inquiries on the period between January and October 2017, trying to comprehend its dynamics and how it rebounds in women’s lives. Confrontation timing that urges on the daily basis of those women who resort to the Network is divergent from State’s confrontation timing in what concerns violence. As result, it is pointed out that this delay in resolution of processes and the presence of patriarchy in institutions endanger the efficiency of Maria da Penha Law, the trust in access to justice and citizenship, as well as protection and guarantee of rights.
Keywords: Patriarcado
Violências
Gênero
Rede de Atenção
Famílias
Patriarchy
Violence
Gender
Care network
Families
metadata.dc.subject.cnpq: Sociais e Humanidades
Multidisciplinar
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Catolica de Salvador
metadata.dc.publisher.initials: UCSAL
metadata.dc.publisher.department: Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação
metadata.dc.publisher.program: Família na Sociedade Contemporânea
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
URI: http://ri.ucsal.br:8080/jspui/handle/prefix/634
Issue Date: 31-Oct-2018
Appears in Collections:Teses de Doutorado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TESEBARBARAASSIS.pdf2.5 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.